fbpx

Banco de dados: o que é e onde ele é utilizado

9 minutos para ler

Imagine como seria trabalhoso e complexo de administrar, se em um site de e-commerce, por exemplo, fosse preciso criar uma página distinta com as informações completas para cada produto vendido na loja? Com certeza teríamos um site imenso e de difícil manutenção. Ao utilizar um banco de dados, criaríamos apenas uma página capaz de fazer a leitura dos registros armazenados nessa ferramenta.

Esse é apenas um exemplo simples da importância da utilização desse recurso. Entretanto, ele é utilizado em diversas situações, além de existirem diferentes tipos de banco de dados disponíveis. A seguir, mostramos de que forma eles armazenam as informações, quais os principais tipos de bancos existentes e os mais utilizados no mercado. Continue a leitura para saber mais!

Entenda como funcionam os tipos de armazenamentos

Os bancos de dados atuais podem armazenar informações de formas diferenciadas. Algumas ferramentas fazem a gravação em disco, entre eles o Oracle, MySql, SQL Server etc. Isso significa que o registro é gravado fisicamente no disco rígido do servidor. Os sistemas gerenciadores de banco de dados utilizam ferramentas próprias para gerenciar o acesso a essas informações e oferecer maior agilidade.

Há também bancos de dados que não utilizam o disco rígido para armazenar o conteúdo, como o Redis. Na prática, os registros são gravados na própria memória do servidor. Dessa maneira, a recuperação dos registros torna-se muito mais rápida, pois não é necessário fazer a leitura física das informações. Vale dizer que eles também oferecem a opção de fazer a gravação física em disco.

Os bancos de dados atuais podem armazenar informações de formas diferenciadas. Algumas ferramentas fazem a gravação em disco, entre eles o Oracle, MySql, SQL Server etc. Isso significa que o registro é gravado fisicamente no disco rígido do servidor. Os sistemas gerenciadores de banco de dados utilizam ferramentas próprias para gerenciar o acesso a essas informações e oferecer maior agilidade.

Há também bancos de dados que não utilizam o disco rígido para armazenar o conteúdo, como o Redis. Na prática, os registros são gravados na própria memória do servidor. Dessa maneira, a recuperação dos registros torna-se muito mais rápida, pois não é necessário fazer a leitura física das informações. Vale dizer que eles também oferecem a opção de fazer a gravação física em disco.

Conheça os principais tipos de banco de dados

Existem diferentes tipos de banco de dados, tanto com relação aos formatos de informações suportadas por eles quanto relacionado à maneira com que elas são armazenadas. Confira, a seguir, os principais modelos disponíveis no mercado.

Relacional

Basicamente, o banco de dados relacional armazena os registros em formato de tabelas, que se relacionam de forma a evitar a duplicidade de informações, garantir o relacionamento entre elas e facilitar a recuperação dos registros.

Cada linha equivale a um registro e as colunas representam os atributos correspondentes a ele. Os principais bancos de dados relacionais são SQL Server, MySql, Oracle etc. Esse modelo é muito utilizado em softwares de gestão, como ERPs, CRMs e outras aplicações que utilizam dados estruturais.

Não relacional

A transformação digital e o crescimento da quantidade de dados que passamos a produzir através da internet e sua relação com o Big Data, aumentou a necessidade de manipulação de novos formatos de dados, entre eles os semi-estruturados, como XML, JSON, RDF etc., e os não estruturados, como imagens, vídeos, arquivos, áudios etc. O banco de dados não relacional, portanto, é a ferramenta ideal para armazenar e organizar esse tipo de dado.

Existem diferentes modelos de banco de dados não relacional. O Redis, o Memcached e o Amazon DynamoDB, por exemplo, utilizam o armazenamento Key-Values, ou seja, chave-valor. Na prática, os dados são associados à chave e recuperados rapidamente da memória do servidor.

Esse modelo de banco é utilizado por empresas que precisam ter respostas rápidas às solicitações de acesso a documentos, aplicativos, IoT e muito mais. Vale ressaltar que existem outros bancos de dados não relacionais, com abordagens diferenciadas (Wide-Column Storage, Graph Store e Document Store), dentre eles Apache Cassandra, HBase e MongoDb.

Multi-model

Vale ressaltar que existem bancos de dados que são multi-model. Isso significa que eles utilizam como abordagem para o armazenamento, tanto as utilizadas nos bancos de dados relacionais como os não relacionais, trabalhando em conjunto. Eles são levados em consideração em cenários onde a versatilidade e liberdade na forma como os dados são armazenados e consultados são um diferencial.

Outra vantagem é que neste tipo de ferramenta, no contexto de banco de dados não relacionais, é possível combinar as abordagens de armazenamento utilizadas (Key-value, Wide-Column, Graph Store e Document Store) de acordo com a necessidade, explorando as vantagens de cada uma e tentando suprir as desvantagens integrando mais de uma estratégia.

Saiba quais são as mais utilizadas e procuradas pelo mercado de trabalho

Existem inúmeros bancos de dados relacionais e não relacionais, por isso, é importante saber quais são os mais utilizados no mercado. De acordo com o ranking apresentado mensalmente pelo site DB-Engines, os dez bancos mais populares em junho de 2020 são:

  • Oracle;
  • MySQL;
  • SQL Server;
  • PostgreSQL;
  • MongoDB;
  • IBM Db2;
  • Elasticsearch;
  • Redis;
  • SQLite;
  • Cassandra.

O mercado de trabalho para quem atua com banco de dados é bem amplo. Isso porque o profissional pode se especializar na parte técnica de gerenciamento e configuração da ferramenta e se tornar um DBA, ou seja, um administrador de banco de dados.

Há também os engenheiros de dados, que são os profissionais que desenham as soluções de dados, ou seja, decidem sobre como utilizar a ferramenta para transformar os dados brutos em informações relevantes. Por fim, temos os profissionais para o desenvolvimento de aplicações, como os desenvolvedores, analistas de dados e analista de BI.

Como vimos, os bancos de dados são ferramentas essenciais para manipular diferentes tipos de informações. Por isso, é importante conhecer a maneira que cada um trata os dados para escolher o modelo mais apropriado às necessidades da aplicação. Além disso, eles oferecem muitas possibilidades de carreira no mercado de trabalho.

Gostou do nosso conteúdo sobre banco de dados? Então, siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn e acompanhe as nossas publicações!

Existem diferentes tipos de banco de dados, tanto com relação aos formatos de informações suportadas por eles quanto relacionado à maneira com que elas são armazenadas. Confira, a seguir, os principais modelos disponíveis no mercado.

Relacional

Basicamente, o banco de dados relacional armazena os registros em formato de tabelas, que se relacionam de forma a evitar a duplicidade de informações, garantir o relacionamento entre elas e facilitar a recuperação dos registros.

Cada linha equivale a um registro e as colunas representam os atributos correspondentes a ele. Os principais bancos de dados relacionais são SQL Server, MySql, Oracle etc. Esse modelo é muito utilizado em softwares de gestão, como ERPs, CRMs e outras aplicações que utilizam dados estruturais.

Vale ressaltar que grande parte dos bancos de dados relacionais também são multi-model. Isso significa que podem se relacionar com modelos de banco de dados não relacional. Dessa forma, conseguem ampliar suas funcionalidades.

Não relacional

A transformação digital aumentou a necessidade de manipulação de novos formatos de dados, entre eles os semiestruturados, como XML, JSON, RDF etc., e os não estruturados, como imagens, vídeos, arquivos, áudios etc. O banco de dados não relacional, portanto, é capaz de armazenar e organizar esse tipo de dado.

Existem diferentes modelos de banco de dados não relacional. O Redis, o Memcached e o Amazon DynamoDB, por exemplo, utilizam o armazenamento Key-Values, ou seja, chave-valor. Na prática, os dados são associados à chave e recuperados rapidamente da memória do servidor.

Esse modelo de banco é utilizado por empresas que precisam ter respostas rápidas às solicitações de acesso a documentos, aplicativos, IoT e muito mais. Vale ressaltar que existem outros modelos de banco não relacional, entre eles o Cassandra e HBase, que utilizam o modelo Wide Column, ou seja, o armazenamento de colunas largas.

Saiba quais tecnologias de banco de dados são as mais utilizadas no mercado de trabalho

Existem inúmeros bancos de dados relacionais e não relacionais, por isso, é importante saber quais são os mais utilizados no mercado. De acordo com o ranking apresentado mensalmente pelo site DB-Engines, os dez bancos mais populares em junho de 2020 são:

  • Oracle;
  • MySQL;
  • SQL Server;
  • PostgreSQL;
  • MongoDB;
  • IBM Db2;
  • Elasticsearch;
  • Redis;
  • SQLite;
  • Cassandra.

O mercado de trabalho para quem atua com banco de dados é bem amplo. Isso porque o profissional pode se especializar na parte técnica de gerenciamento e configuração da ferramenta e se tornar um DBA, ou seja, um administrador de banco de dados.

Há também os engenheiros de dados, que são os profissionais que desenham as soluções de dados, ou seja, decidem sobre como utilizar a ferramenta para transformar os dados brutos em informações relevantes. Por fim, temos os profissionais para o desenvolvimento de aplicações, como os desenvolvedores, analistas de dados e analista de BI.

Como vimos, os bancos de dados são ferramentas essenciais para manipular diferentes tipos de informações. Por isso, é importante conhecer a maneira que cada um trata os dados para escolher o modelo mais apropriado às necessidades da aplicação. Além disso, eles oferecem muitas possibilidades de carreira no mercado de trabalho.

Gostou do nosso conteúdo sobre banco de dados? Então, siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn e acompanhe as nossas publicações!

Posts relacionados

Deixe um comentário